terça-feira, agosto 21, 2018

A mídia estimula a transexualidade nas crianças, alertam especialistas



Especialistas respeitados na área da psiquiatria, Marco Antonio Coutinho Jorge e Natália Pereira Travassos, deram uma entrevista ao site O Antagonista sobre seu livro “Transexualidade — O Corpo Entre o Sujeito e a Ciência”.

Com currículos extensos, os dois fazem uma análise científica da percepção da sociedade sobre a questão da transgeneridade. Seu alerta é para o perigo da banalização da troca de sexo, afinal trata-se de uma escolha irreversível com profundas consequências físicas e emocionais.

Para os psicanalistas, a mídia exerce grande influência na maneira como o tema “transexualidade” ganhou espaço nos últimos anos.

“A influência midiática é uma faca de dois gumes. Reconhecemos que a propagação da informação é fundamental no combate ao preconceito, mas, ao jogar um foco excessivo sobre a transexualidade, a mídia estimula a avidez de um mercado – médico e farmacêutico – que é altamente promissor, pois fideliza os “pacientes” para o resto de suas vidas”, asseveram.

Jorge e Travassos destacam ainda que hoje em dia, “para tornar-se um “profundo” conhecedor sobre a transexualidade, basta buscar no Google e ali encontrar descrições minuciosas dos procedimentos cirúrgicos de redesignação sexual, assim como se estivéssemos acompanhando o preparo de uma receita de bolo no programa de culinária”.

Uma das ideias mais comumente adotadas em estudos sobre gênero é a busca de “um gene transexual”, que serviria como prova biológica da homossexualidade e da transexualidade. Contudo, os especialistas alertam que essa é uma falácia.

“A própria definição da Organização Mundial de Saúde sobre o conceito de saúde engloba três aspectos: biológico, psíquico e social. Sendo assim, explicar pela via biológica algo do universo humano é deixar de reconhecer que ali há um sujeito e que, enquanto tal, constrói seu próprio enredo. Se fosse assim, não haveria gêmeos univitelinos com orientações sexuais divergentes entre eles”, resumem.

Acrescentam também que “nunca houve qualquer descoberta contundente da genética ligada à orientação sexual nem à transexualidade”, mas que as mídias “abrem enorme espaço para notícias duvidosas desse tipo”.

Outra percepção bastante equivocada, mas que continua ganhando espaço é a ideia de “crianças trans”. Essa é uma percepção equivocada. “Nenhuma criança se define como transgênero, ela recebe essa nomenclatura de um adulto que, na maioria das vezes, são os próprios pais e, posteriormente, especialistas”, asseguram.

Segundo eles, “A homofobia parental parece desempenhar um papel fundamental nesses casos: em especial, ao menor sinal de feminilidade nos meninos, a transexualidade acena como uma solução que pode facilmente desviar a discussão de uma possível homossexualidade”.

Mudança de Dentro Para Fora


"Não por causa de atos de justiça por nós praticados, mas devido à sua misericórdia, ele nos salvou pelo lavar regenerador e renovador do Espírito Santo" (Tito 3:5)

Nos anos 1600, o autor Matthew Mead publicou um grande livro chamado The Almost Christian Discovered (O quase cristão descoberto - tradução livre), no qual escreveu: "A mudança exterior muitas vezes acontece sem a interior, mas a mudança interior nunca acontece sem a exterior."

As pessoas podem passar pelos movimentos sem necessariamente tornarem-se cristãs. Você pode orar e necessariamente não ser um cristão. Você pode ser batizado e necessariamente não ser um cristão. Para o melhor de sua capacidade, você pode manter os Dez Mandamentos e necessariamente não ser um cristão. Você pode até acreditar que Jesus está voltando e necessariamente não ser um cristão.

As pessoas podem até fazer mudanças visíveis em suas vidas e necessariamente não serem cristãs. Havia um jovem rico que veio a Jesus e disse: "Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?" (Marcos 10:17).

Jesus lhe disse: "Você conhece os mandamentos" e depois os listou.

O jovem disse: "Mestre, tudo isso tenho obedecido desde a minha adolescência" (Marcos 10:20).

Esse cara era basicamente moral. Ele guardou os mandamentos da melhor forma que conseguiu. Certamente ele os quebrou algumas vezes, mas pelo menos tentou. Até que Jesus lhe disse o que fazer e ele não o fez. Ele parou perto de Jesus.

Não são os seus trabalhos que lhe salvam. Você coloca a sua fé em Cristo e então verá as evidências em sua vida. Embora seja verdade que a fé sem obras é inútil (ver Tiago 2:20), pode-se dizer que as obras sem fé também o são.

Você pode dizer: "Bem, fui a um retiro cristão" ou "Eu me levantei e fiz uma oração." Isso é bom, mas necessariamente não faz de você um cristão. Tem que haver um movimento do seu coração em direção a Deus.

Devocional Diário

sexta-feira, agosto 17, 2018

A Sua Presença Amorosa




"Quando você atravessar as águas, eu estarei com você; e, quando você atravessar os rios, eles não o encobrirão. Quando você andar através do fogo, você não se queimará; as chamas não o deixarão em brasas. Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, o Santo de Israel, o seu Salvador [...]" (Isaías 43:2-3)

Você já se sentiu como se todos tivessem lhe decepcionado? Você já se sentiu abandonado, esquecido ou desamparado?

Paulo, o apóstolo, sentiu-se assim. Preso em Jerusalém, Paulo deve ter se sentido desencorajado, pelo que lemos em Atos 23:11, "Na noite seguinte o Senhor, pondo-se ao lado dele, disse: 'Coragem!' [...]". Deus o lembrou que ele não estava sozinho.

O grande pregador britânico C. H. Spurgeon colocou desta forma:
Se tudo mais o abandonasse, Jesus era companhia suficiente; se todos o desprezassem, o sorriso de Jesus era apoio suficiente; se a boa causa parecia em perigo, na presença do Seu Mestre, a vitória era certa. O Senhor que tinha ficado por ele na cruz, agora estava ao lado dele na prisão... Era uma masmorra, mas o Senhor estava lá; estava escuro, mas a glória do Senhor iluminou-a com o esplendor do próprio Céu.

Isso se resume a: Eu preferiria estar em uma prisão, em uma tempestade ou em dificuldades com Jesus do que em qualquer outro lugar sem Ele. Melhor ainda: eu preferiria estar em um lugar agradável e feliz com Jesus - isso também é bom. E o negócio é o seguinte: Ele está conosco aonde quer que andemos. É isso que o Senhor estava dizendo a Paulo: "Você não está sozinho".

Deus diz: "Quando você atravessar as águas, eu estarei com você; e, quando você atravessar os rios, eles não o encobrirão. [...] Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, o Santo de Israel, o seu Salvador [...]" (Isaías 43:2–3).

Ele está conosco nos bons momentos e também nos maus. E como alguém sabiamente disse: "Ele pode compensar Sua presença amorosa por toda perda terrena".

Devocionais Diários

Força para os cansados




Será que você não sabe? Nunca ouviu falar? O Senhor é o Deus eterno, o Criador de toda a terra. Ele não se cansa nem fica exausto; sua sabedoria é insondável. Ele fortalece o cansado e dá grande vigor ao que está sem forças. Isaías 40:28-29   

Algo tira tira muita motivação é o cansaço físico e emocional. Mas você não está lutando sozinho. Deus está com você e ele tem a força que você precisa. Quando você não pode mais, confie na força de Deus e procure descanso nele.

Paz de Cristo.

Aprenda ouvir antes de falar




'Responder antes de ouvir é estupidez e vergonha.' Provérbios 18:13

Salomão conhecia os efeitos devastadores de palavras inapropriadas. As palavras podem produzir vida ou morte ao nosso redor. Ninguém nesta terra compreendia melhor o poder das palavras do que Salomão. Todos aqueles que encontravam com Salomão ouviam palavras de consolo, de incentivo e de estimulo. Era exatamente por isso que as pessoas vinham de todos os lugares para falar com ele. E ele nos ensina que não devemos responder antes de ouvir, sem conhecer todos os detalhes da situação.

ORAÇÃO: Pai querido, ajuda-me a refrear a lingua, ensina-me usar a boca com sabedoria. Quero que as minhas palavras sejam edificantes na vida das pessoas ao meu redor. Perdoa pelas vezes que falei aquilo que não deveria. Eu oro em nome de Jesus. Amém.

🍞Pão Diário🍷

quinta-feira, agosto 16, 2018

Aprenda com a formiga, ó preguiçoso



'Vai ter com a formiga, ó preguiçoso; olha para os seus caminhos, e sê sábio. Pois ela, não tendo chefe, nem guarda, nem dominador. Prepara no verão o seu pão; na sega ajunta o seu mantimento. O preguiçoso, até quando ficarás deitado? Quando te levantarás do teu sono? Um pouco a dormir, um pouco a tosquenejar; um pouco a repousar de braços cruzados; Assim sobrevirá a tua pobreza como o meliante, e a tua necessidade como um homem armado.' Provérbios 6:6-11

Com estas palavras Salomão condenou a preguiça e repreendeu o preguiçoso. A preguiça não é apenas uma atitude; é a falta de ação. É escolher negligenciar questões importantes. Nem sempre os resultados desta falta de atitude são evidentes, mas com o passar do tempo, os resultados desta inércia são perda e derrota.

ORAÇÃO: Querido Pai Celestial, incite em mim uma paixão para fazer o que é verdadeiro e bom e justo. Toque em meu coração quando eu negligenciar o que é importante. Por favor, ajude-me a discernir a diferença entre a preguiça e a genuína necessidade de descansar e equilibrando minha vida entre as responsabilidades que tenho assumido. No nome de Jesus eu oro. Amém.

Pão Diário