Header Ads

Devemos examinar se não estamos sendo orgulhosos


"Eles também responderão: Senhor, quando te vimos com fome ou com sede ou estrangeiro ou necessitado de roupas ou enfermo ou preso, e não te ajudamos? Ele responderá: Digo-lhes a verdade: o que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo.”

(Mateus 25.44-45)

Talvez uma das grandes confusões que façamos em nossa jornada cristã é quanto ao que agrada e ao que desagrada a Deus. Os apóstolos, muitas vezes, enganaram-se sobre o que agradava ou desagradava a Deus. Os fariseus então, nem se fala! Certa ocasião Jesus estava indo para Jerusalém e os moradores de uma vila samaritana recusaram-lhe hospedagem. Tiago e João perguntaram a Jesus: “O Senhor quer que oremos para que caia fogo do céu e os mate?” Mas Jesus lhes disse: “De jeito nenhum! Eu vim salvar os homens, não aniquilá-los!” (Lc 9.52-56)

Jesus contou a parábola revelando esse engano. Disse que, no fim dos tempos, muitos serão pegos de surpresa ao descobrirem que, o que faziam e achavam que estavam agradando a Deus, nada representou para Deus. Devemos ter cuidado, nós que nos denominamos cristãos, que acreditamos que sabemos o que devemos fazer e que acreditamos que estamos fazendo algo para Jesus, servindo-o. Devemos examinar se não estamos sendo orgulhosos. Jesus falou de pessoas que se surpreenderam por não serem reconhecidas como quem achavam que eram! “Quando foi que não te servimos?”, perguntaram! Talvez porque pensassem que, o que mais faziam, era servi-lo. E a resposta foi: “vocês não me serviram, pois não serviram aos seus semelhantes!”.

Precisamos ter muito cuidado, pois não somos imunes o risco de estar colocando nossa religiosidade em lugar de nossa espiritualidade e nossa instituição religiosa no lugar do Reino de Deus. Há o risco de sermos evangélicos bem alinhados com nossas igrejas, mas cristãos totalmente desviados do Reino de Deus. Um importante parâmetro é o lugar das pessoas em nossa vida. O quanto as amamos, servimos e respeitamos! Para os judeus o sábado era mais importante que as pessoas. Para Jesus não – “o sábado foi feito por causa do homem e não o homem por causa do sábado” (Mc 2.27). E para nós, o que é mais importante?

ucs

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.