Header Ads

Quando amamos o próximo, estamos envolvidos na missão de Deus



"E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’.” (Mateus 22.39)

 Quando amamos o próximo, estamos envolvidos na missão de Deus, pois Deus ama o próximo que devemos amar. Como cristãos, infelizmente, não aprendemos que amar o próximo seja o ponto central de nossa missão! Embora Jesus tenha claramente declarado isso, não enxergamos. Reduzimos tudo a “vão por todo mundo e preguem o Evangelho” ao mesmo tempo em que ignoramos que não poderemos, de fato, fazer isso sem que amemos da forma que Jesus disse, pois isso é parte central do Evangelho! Podemos aprender a pregar uma mensagem que coloca cada pessoa diante do desafio de crer em Jesus. Isso não é difícil! Mas quantos de nós temos amado o próximo como a si mesmo?

Há muitos desafios que nos intimidam diante do dever de amar, pois amar sempre envolverá entregarmos alguma coisa. Na verdade, mais que alguma coisa. Alguma coisa é o que de mais barato o amor entrega. Se escolhermos amar precisaremos entregar a nós mesmos. Deus amou o mundo e entregou Seu Filho (Jo 3.16). Deus entregou a si mesmo! Mas queremos nos preservar e satisfazer, não nos entregar. Não queremos negar a nós mesmos, e aí pecamos contra Deus e contra o próximo. Pecados por falta de amor. O amor tem muitas antíteses e não apenas o ódio. Visto que o amor é a raiz das virtudes, todos os vícios e males são antíteses a ele. A falta de amor corrompe tudo. O poder, a arte, a beleza, a inteligência… tudo se deteriora sem amor, pois sem amor tudo fica exposto à operação da maldade entre nós.

Em ultima análise, o problema que produz e aumenta os problemas entre nós é a falta de amor. Somos pecadores e é o amor de Deus por nós que pode nos guardar do mal. É amando a Deus que poderemos repensar nossos caminhos e dizer não ao pecado tantas vezes quantas nos for possível para a glória de Deus. É amando o próximo, todo e qualquer próximo, com a sabedoria do amor que recebemos de Deus, que honraremos o Deus que nos amou. A nossa fraqueza é a falta de amor e a nossa força é o amor. Precisamos nos ajoelhar diante de Deus e pedir ajuda. Que o Espírito Santo nos esclareça e que nos deixemos convencer por Ele para que, definitivamente, amar seja uma prioridade. Mais que uma prioridade, seja o ponto de partida e de chegada de nossa missão e espiritualidade.

ucs

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.